A contragosto, comerciantes de Pompéia dizem acatar decreto de Dória, mas “pressão” vai continuar

Compartilhe

Associação Comercial alerta para a continuidade da quarentena

LEGENDA – “Vamos ter que nos reorganizar como loja para superar esta situação”, acrescentou Marineves da Silva Barros Souza

A diretoria da Associação Comercial e Empresarial de Pompeia recebeu com surpresa a continuidade da quarentena por mais 15 dias, até o dia 22 de Abril, nesta pandemia do Covid-19. Apesar da associação comercial prever a continuidade, a Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) encaminhou documento solicitando a paralisação, o que não foi atendido pelo Governador do Estado de São Paulo, João Dória, que anunciou no Palácio dos Bandeirantes, a continuidade do Decreto Estadual nº 64881/2020, por mais duas semanas. “Ele foi detalhista, mostrando números, gráficos, estatísticas e projeções, de que a doença ainda é uma grande ameaça”, disse o presidente da associação comercial pompeiana, Rinaldo José Traskini, que mesmo não concordando com o rigor do decreto, é obrigado a segui-lo.

Na exposição que fez, João Dória disse que apenas o prazo será alterado do novo decreto a ser publicado na terça-feira, dia 07. “Se houver necessidade de complementos, não hesitarei e faze-los para preservar vidas”, anunciou ao explicar que a Polícia Militar do Estado de São Paulo está orientada num primeiro momento a informar e instruir o comerciante e a população em geral que não cumprirem o decreto estadual sobre o fechamento do comércio e as aglomerações. “Num segundo momento, ai sim será uma medida coercitiva”, frisou ao sugerir primeiramente a lacração do estabelecimento e em seguida a suspensão do alvará de funcionamento, numa ação em conjunta com a Prefeitura Municipal. “A orientação é não multar e sim fechar o local”, disse o Prefeito de São Paulo, Bruno Covas, ao mostrar o trabalho em conjunto entre os poderes municipal e estadual.

Diante da continuidade da paralisação do varejo em geral por mais 15 dias, a diretoria da associação comercial em Pompeia sugere que os lojistas se mantenham em respeito ao Decreto Estadual nº 64881/2020, e que o funcionamento de estabelecimentos continuem apenas aos que são considerados pelo Governo do Estado de São Paulo como essenciais e que os demais que atuam com sistema de delivery ou drive thru, continuem, sem aglomeração ou atendimento ao público. “A ordem é superior e nada podemos fazer”, lamentou Rinaldo José Traskini. “Vamos ter que nos reorganizar como loja para superar esta situação”, acrescentou Marineves da Silva Barros Souza, vice-presidente de diretoria. “A pressão junto ao Governo Estadual continuará pela federação”, comentou Alair Mendes Fragoso, coordenador do SCPC da associação comercial pompeiana. “Revisão do planejamento financeiro terá que ser constante e permanente na empresa”, sugeriu Chikao Nishimura, vice-presidente da diretoria.

Com a prorrogação da quarenta a diretoria da associação comercial de Pompeia estuda a possibilidade de intensificar o trabalho na assessoria aos comerciantes associados no sentido de desenvolver meios para o fortalecimento das vendas eletrônicas, bem como a divulgação das empresas que trabalham com o drive thru e o delivery. “Vamos anunciar nos próximos dias uma sugestão aos comerciantes”, comentou Rinaldo José Traskini, que pretende proporcionar aos lojistas uma plataforma virtual de compra e venda pela internet. “Além disso estamos criando um canal de orientação sobre as linhas de crédito para empresas e sobre as prorrogações dos pagamentos de taxas e impostos”, acrescentou o dirigente preocupado com a grave situação do varejo na quarentena. “O poder do funcionamento não nos compete”, disse. “Mas sugerir alternativas sim, e é o que estamos fazendo”, ressaltou o dirigente em tom de preocupação.


Compartilhe

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*