Artigo: “Todo poder emana do povo e com o povo deverá ser exercido.”, por Luís André Lisque Noro de Freitas

Compartilhe

Todo poder emana do povo e com o povo deverá ser exercido.

Luís André Lisque Noro de Freitas

Desde que assumi publicamente a tarefa de estar junto com a Nayara Mazini nesta grande missão de encabeçar a pré-candidatura do PSOL para a prefeitura de Marília, venho recebendo alguns questionamentos:
“Mas, você virou político agora?”, “Sinto muito, não confio em nenhum político.”, “Você agora tem que agir como político!”, inúmeras pessoas me disseram nas ruas e nas redes sociais.
Intimamente pensei sobre isso e percebi que não mudei em nada aquilo que sou, estou ganhando experiência e aprendizado, todavia continuo sendo eu mesmo, com acertos e erros, meus vícios e virtudes.
Aliás, político todo mundo é. Quando enxergamos uma situação de injustiça e não nos indignamos, calando a nossa voz, estamos fazendo política. E é contando com a nossa omissão que exploradores e opressores se perpetuam no poder. Entretanto, quando lutamos para a transformação, quando enfrentamos as injustiças, nós estamos fazendo a bela política pela emancipação e pelo progresso, e isso podemos e devemos fazer todos os dias, seja lá onde estivermos.
Política não é e não pode ser vista somente como uma carreira ou um jogo de quem ocupará cada cargo pelos próximos anos. Citando o grande dramaturgo Bertold Brecht: “(…) o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.”.
É na falta de água nas torneiras do bairro, é na comida envenenada de agrotóxicos, é no medo de sair para a rua, é na sobra de mês no final do salário e é na falta de tempo para dar carinho a quem a gente ama que mora a política. Ela está mais aqui perto da nossa gente do que nos gabinetes dos prédios públicos.
Infelizmente, muitas vezes não percebemos a nossa proximidade com a política, não nos damos conta do nosso poder e deixamos as decisões serem tomadas de dentro de gabinetes frios distantes do povo, grande parte das vezes fechados para a população. São publicadas decisões urgentes que influenciam nas vidas de todos nós em diários oficiais que pouca gente lê, em meio a um monte de palavras que quase ninguém entende, geralmente em benefício de poucas pessoas.
É importante termos consciência de que Marilia é uma cidade rica, nossa cidade ocupava a posição 139º no Ranking das cidades com maior Produto Interno Bruto (PIB) entre as 5570 cidades brasileiras analisadas pelo IBGE em 2017. Um ano depois, o Fundo Monetário Internacional publicou um estudo que indica que o Brasil ocupava a 9ª posição entre os países mais ricos do mundo de acordo com o PIB nacional. Somos, então, uma cidade rica em um país rico, muitas vezes porém estamos submissos a interesses que não são os da maioria do nosso povo.
Eu tenho fé de que a nossa população não quer a perpetuação da desigualdade social que retira a dignidade, do machismo que mata e oprime mulheres todos os dias, da LGBTfobia que causa sofrimento e divide nossas famílias, do racismo que segrega, encarcera e retira oportunidades e da destruição da natureza que coloca em risco a sobrevivência humana no nosso planeta.
Agora, as verdadeiras necessidades do nosso povo só poderão ser sanadas se a gente conseguir acabar com o abismo que hoje separa a vida concreta do povo dos gabinetes dos prédios públicos. Quando o povo ocupar o espaço de poder que é dele por direito.
E isso não é feito apenas de quatro em quatro anos no momento do voto. É necessário tomarmos nosso destino em nossas mãos e lutarmos todos os dias, seja lá qual governo for eleito. Precisamos criticar, precisamos mostrar nossos problemas mais concretos para que eles sejam vistos, precisamos sugerir soluções e precisamos saber ouvir uns aos outros.
Como advogado e amante das matérias constitucionais, ouso dizer que, para derrubar o muro que nos separa das nossas necessidades e dos nossos sonhos e abafar qualquer equívoco facistoide, precisamos agora interpretar coletivamente o parágrafo único do primeiro artigo da nossa Constituição Federal que fala que o poder vem do povo:
“Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.”
Conforme: todo poder emana do povo e com o povo, ombro a ombro, deverá ser exercido.
Todo poder ao povo!


Luís André Lisque Noro de Freitas, é advogado, militante dos direitos humanos. Iniciou sua militância no movimento estudantil, defendendo uma educação pública, gratuita e de qualidade. Ecossocialista, defende a vida acima do lucro e um outro mundo possível, sem divisão de classes, sem machismo, sem racismo, sem LGBTfobia e em harmonia com a natureza.


Compartilhe

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*