Brasil de Bolsonaro termina 2019 com rombo de US$50 bi nas contas externas

Sob o desgoverno o déficit em transações correntes do país fechou 22,2% maior que 2018, afetado pela piora na balança comercial, segundo dados do Banco Central

Divulgação- Palácio do Planalto Governo Federal

Sob a gestão da dupla Jair Bolsonaro (sem partido) e Paulo Guedes a economia brasileira acumula recordes negativos. No primeiro ano do desgoverno, o Brasil chegou a um rombo de 50,762 bilhões de dólares nas contas externas, uma alta de 22,2% sobre 2018, o pior dado em quatro anos.

O resultado foi afetado pela piora na balança comercial do país – comércio de produtos entre o Brasil e outros países -, pelos serviços adquiridos por brasileiros no exterior e pelas rendas (remessas de juros, lucros e dividendos do Brasil para o exterior), segundo dados divulgados pelo Banco Central, repercutidos pela Folha de S. Paulo, nesta segunda-feira (27).

O déficit das transações correntes do Brasil – de US$ 50,762 bilhões (R$ 212 bilhões) –  passou a 2,76% do Produto Interno Bruto (PIB), sobre 2,20% em dezembro de 2018. Os números evidenciam o desastre da gestão Bolsonaro nas relações internacionais e no comércio exterior. Segundo o Banco Central, apesar de positivo, o saldo da balança comercial foi US$ 13,64 bilhões menor do que em 2018.

O Líder do PT na Câmara dos DeputadosPaulo Pimenta, criticou a incapacidade do governo. “Rombo nas contas externas sobe a US$ 50,762 bi, em 2019, 2,76% do PIB. Maior rombo das contas externas havia sido registrado em 2015”. O parlamentar ainda ironizou Bolsonaro, um dos apoiadores do golpe contra a presidenta Dilma Rousseff: “É só tirar a Dilma”. A presidenta nacional do PT,  Gleisi Hoffmann (PR), também repercutiu o desastre do desgoverno.

Da Redação da Agência PT de Notícias, com informações da Folha de S. Paulo

Compartilhe
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter
Instagram

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*