Colunista Aldemir Estevão entrevista os engenheiros Victor Nunes Cavalcanti e Willy César Matias

Em virtude da comemoração do dia dos Técnicos de Segurança do Trabalho e da fundação da Atest em 27 de Novembro, iremos entrevistar dois profissionais competentes e comprometidos com a Prevenção de Acidentes, Saúde e Segurança do Trabalho em Marília, Victor Nunes Cavalcanti, Engenheiro de Segurança do Trabalho na FAMAR (Fundação de apoio a FAMEMA e ao HCFAMEMA) e Coordenador do Curso Técnico em Segurança do Trabalho da ETEC Monsenhor Antonio Magliano de Garça e Willy César Matias, Engenheiro de Segurança do Trabalho e Docente na área de Saúde e Segurança do Trabalho.

 Agradeço-lhes por ter aceitado nosso convite para informar aos leitores e principalmente aos Técnicos de Segurança do Trabalho, alunos e todos os interessados na área e aos trabalhadores e trabalhadoras.

Aldemir Estevão e o engenheiro Willy César Matias

Aldemir Estevão e o engenheiro Victor Nunes Cavalcanti

Primeiramente como presidente da Associação dos Técnicos de Segurança do Trabalho de Marília e Região quero parabenizar os formandos e os Técnicos de Segurança do Trabalho de Marília e Região, em comemoração ao seu dia.

Profissional este comprometido com a prevenção de acidentes e a saúde e segurança do trabalhador, ou seja, com a vida dos trabalhadores e trabalhadoras, servidores e servidoras públicos.

Vamos falar sobre a profissão de Técnico de Segurança do Trabalho, profissão regulamentada pela Lei 7410 de 27 de Novembro de 1985.

Professor Victor, o Técnico de Segurança do Trabalho, para exercer a profissão deverá obter o registro profissional junto a Secretaria do Trabalho/ME, através do Sirpweb, essas informações são passadas aos alunos em sala de aula?

 Sim, o aluno concluinte, ao longo do último módulo/semestre do curso, recebe uma série de informações pertinentes, visando facilitar a obtenção do registro Profissional, bem como, anualmente realizamos na escola alguns eventos, dentre eles o Abril Verde e a SIPAT (Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho), onde, com a parceria da ATEST, levamos essas orientação a todos os alunos que estão cursando o Técnico em Segurança do trabalho, na forma de palestra técnica.

Professor Matias, qual é a responsabilidade do Técnico de Segurança do Trabalho dentro da empresa?

A função prioritária é atuar na prevenção. O Técnico em Segurança do Trabalho deverá orientar e coordenar o sistema de segurança do trabalho da empresa, investigando riscos e causas de acidentes, analisando estratégias de prevenção. Inspecionar locais, conforme planejamento, observar as condições das instalações e equipamentos da empresa e determinar fatores de riscos de acidentes.

Professor Victor, a Atest realiza visitas técnicas para proporcionar e compartilhar conhecimentos aos alunos “in loco” nas empresas. Como você vê o trabalho da Atest?

Esse trabalho é de suma importância e de muita valia, pois promove ao aluno a possibilidade do contato com a prática profissional, melhorando a visão e conhecimentos teóricos que o estudante recebeu até então. Essa sinergia, Escola x Empresas, faz com que os alunos visionem seu futuro profissional, bem como engrandece o trabalho dentro de sala de aula, pois após as visitas técnicas, os alunos fazem o relatório de visita e debatemos/discutimos os assuntos levantados, tais como Sinalização, EPIs, EPCs, etc enriquecendo a aula.

Prof. Matias, apesar da grade curricular ser planejada no início do curso, mas devido tantas alterações ocorrerem no decorrer do mesmo, como você já está passando essas informações aos alunos?

Cabe ao professor também realizar esta abordagem e manter-se atualizado. Em diversos momentos acaba-se instigando os alunos a realizar uma determinada pesquisa ou leitura em relação a um tema que esteja em evidencia no momento dentro do contexto da Segurança Ocupacional.  É necessário propor e desafiar os alunos a melhorar habilidade que também serão cobradas no mercado de trabalho como por exemplo o senso crítico e a atitude colaborativa.

Prof. Victor, recentemente você esteve na Fundacentro participando de atividades relacionadas a área, nos fale um pouco?

Nos meses de agosto e setembro foi realizada, por especialistas da Fundacentro e Cetesb, com apoio do Grupo de Trabalho em Educação da Comissão Nacional de Segurança Química (Conasq), um curso de capacitação voltado à difusão de práticas mais seguras e eficientes no trabalho para a prevenção de acidentes, danos ambientais e à saúde. Desta forma, como professor e Profissional da área, atuo como multiplicador na formação de outros profissionais e aplico os conhecimentos adquiridos no ambiente de trabalho, visando o aperfeiçoamento da percepção de risco e promoção da atuação de forma preventiva, evitando acidentes.

É muito importante a capacitação de forma continuada, pois as tecnologias avançam e temos que estar preparado para promover o bem estar das pessoas e garantir a integridade ocupacional das pessoas.

Nesse período, tive a oportunidade de acompanhar audiências públicas com o debate multiprofissional e de entidades de classe para proposição de revisão da normas regulamentadoras de Saúde e Segurança do trabalho.

Prof. Matias a Atest têm como principal proposta unir os TSTs e proporcionar-lhes cursos, treinamentos, workshops etc, para mantê-los atualizados profissionalmente após concluir ocurso. Qual sua opinião em relação a proposta da Atest?

Para os profissionais da área de Saúde e Segurança Ocupacional a Atest só deve agregar valor à sua formação. Os profissionais Técnicos em Segurança do Trabalho devem estar sempre buscando se atualizar, aprimorar seus conhecimentos e portanto a proposta da Atest é uma excelente oportunidade aos novos Técnicos de Segurança do Trabalho, manter contato com os demais profissionais da área.

Professor Victor a ATEST está programando a visita dos alunos do curso Técnico de Segurança do Trabalho à FUNDACENTRO e FISP, (Feira Internacional de Segurança e Proteção), que será realizada entre os dias 20 a 22/10/2020. Qual a importância desses eventos para os alunos, técnicos de segurança, cipeiros, brigadistas e profissionais da área?

 Importante estar atento e acompanhar o avanço das tecnologias e inovações que acontecem em nossa área, pois os processos de trabalho avançam com uma velocidade muito grande, para atender as demandas produtivas que o mercado exige.

O profissional que se presa, precisa estar atualizado para atender as mais variadas demandas que o profissional de segurança do trabalho é capaz de analisar e ser responsável em prover solução visando minimizar, atenuar e prevenir riscos nas mais diversas áreas.

Prof. Matias, as Normas Regulamentadoras estão sendo revisadas, qual sua opinião?

A revisão das normas é muito relevante visto que já vivenciamos muitas alterações nas dinâmicas de trabalho. As normas necessitam ser atualizadas e revisadas para que as mesmas tenham aplicabilidade, porém devemos ficar atentos pois não podemos desproteger o trabalhador. As normas precisam ser bem aplicadas e fiscalizadas.

Professor Victor, a Medida Provisória 905/19, altera a Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, e está circulando entre os TSTs o oficio 1649/2019/ME, que considera o acidente de trajeto ocorrido a partir de 11 de novembro de 2019, não deve ser enquadrado como Acidente de Trabalho, qual sua opinião a respeito?

Minha opinião é que essa MP vem com intenção de controle de distorções nas interpretações do acidentes de trajeto. De fato, o profissional que estiver a mando/pedido/serviço da empresa e se acidentar durante o deslocamento, o acidente continua sendo caracterizado como acidente de trabalho, não prejudicando o trabalhador.

Com a alteração do Art. 58 da CLT, através da lei 13467, no que diz respeito ao tempo despendido pelo empregado de sua residência até a efetiva ocupação do posto de trabalho ou vice versa, caminhando ou por qualquer meio de transporte, inclusive cedido pelo empregador, não será computado na jornada de trabalho, por não ser tempo a disposição do empregador.

Prof. Matias a ATEST está programando a visita dos alunos do curso Técnico de Segurança do Trabalho à FUNDACENTRO e FISP, (Feira Internacional de Segurança e Proteção), que será realizada entre os dias 20 a 22/10/2020. Qual a importância desses eventos para os alunos, técnicos de segurança, cipeiros, brigadistas e profissionais da área?

É muito importante que os alunos participem de eventos e visitas técnicas; A atividade de visita técnica visa o encontro do aluno com o universo profissional, proporcionando aos participantes uma formação mais ampla, portanto é muito relevante para os alunos.

 

Compartilhe
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter
Instagram

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*