Últimas

Colunista Aldemir Estevão: “O coronavírus e a segurança do trabalho”

Compartilhe

ALDEMIR ESTEVÃO

colunista do Portal Mariliense

Com o surgimento do coronavírus na China e logo sua expansão para o restante do mundo, vimos o quanto nós seres humanos somos frágeis e estamos expostos a doenças e/ou sinistros.

Ouvimos, lemos e assistimos nos meios de comunicação a necessidade e obrigatoriedade do uso dos EPIs (Equipamento de Proteção Individual), principalmente, os profissionais da saúde que estão na linha de frente no combate ao coronavírus, tratando do nosso povo e dando uma palavra amiga de conforto às famílias que perderam seus entes queridos.

E por outro lado a população que lhe é imposta o cumprimento de decretos estaduais e/ou municipais obrigando-a ao uso de máscara facial e ficar em isolamento para evitar a proliferação do vírus e em caso de descumprimento sofrer as devidas sanções.

Assisti uma matéria na TV, fiquei estarrecido com a informação, pesquisando na internet, deparei com a mesma abaixo e que muito me entristeceu pela falta de respeito e compromisso com os valorosos profissionais da saúde, que estão expondo sua vida para salvar a do seu próximo.

O profissionalismo que os mesmos estão dedicando aos pacientes e familiares, por outro lado, seus superiores não estão tendo com os mesmos, segue matéria abaixo:

Além das capas, inadequadas para o atendimento, profissionais do Hospital Irmã Dulce, em Praia Grande (hospital municipal), usam máscaras incapazes de filtrar microorganismos.(fonte:https://g1.globo.com/sp/santos-regiao/mais-saude/noticia/2020/04/21/enfermeiros-denunciam-uso-de-capa-de-chuva-contra-coronavirus-em-sp.ghtml

A Norma Regulamentadora nº 6, regulamenta os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e a referida Norma Regulamentadora diz que:

Considera-se Equipamento de Proteção Individual é todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho.

O equipamento de proteção individual, de fabricação nacional ou importado, só poderá ser posto à venda ou utilizado com a indicação do Certificado de Aprovação (CA), expedido pelo órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no trabalho, ou seja, a Secretaria do Trabalho/ME.

 A NR-6 diz que a empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, equipamento de proteção individual adequado ao risco, em perfeito estado de conservação e funcionamento, nas seguintes circunstâncias:

  1. a) sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscos de acidentes do trabalho ou de doenças profissionais e do trabalho;
  2. b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; e,
  3. c) para atender a situações de emergência.

Sendo atendidas as particularidades de cada atividade profissional é responsabilidade do empregador fornecer aos trabalhadores os equipamentos de proteção individual adequados.

Imagina, como esse profissional da saúde sem os equipamentos de proteção individual adequados exercem suas atividades na atenção e socorro aos pacientes supostamente contaminados com o coronavírus ou mesmo outras doenças infectocontagiosas.

O psicológico destes profissionais da saúde utilizando essas máscaras e capa de chuvas improvisadas e principalmente sem o Certificado de Aprovação, para o exercício da profissão estão colocando sua saúde e vida em risco, além de potenciais transmissores do coronavírus.

Aldemir Estevão – servidor da Gerência Regional do Trabalho em Marília, Presidente da Associação dos Técnicos de Segurança do Trabalho de Marília e região;

Especialista em Gestão de Pessoas e Segurança do Trabalho e

Técnico de Segurança do Trabalho – Reg. Prof:39407/SP

 


Compartilhe

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*