Últimas

Doações para Banco de Leite Materno caem 60%

Compartilhe

Pandemia faz cair o número de doações
ao Banco de Leite de Marília em 60%

Supervisora do Banco de Leite de Marília, enfermeira Sandra Domingues

As doações não atingem a metade do necessário para o atendimento de bebês em UTIs neonatal

O BLH (Banco de Leite Humano) de Marília divulgou nesta quarta-feira (20) o balanço de doação de leite do mês de abril. Em relação ao ano de 2019 as doações caíram 60%. Nos meses anteriores também houve redução no número de doações.
Já em janeiro de 2020 a queda foi de 34% em relação às doações do mesmo mês em 2019. Este número aumentou em fevereiro para 44%; em março teve uma leve recuperação registrando 39% a menos do que no ano passado e em abril a queda voltou a crescer, chegando ao número que não dá para atender nem 50% da demanda das UTIs neonatal.
Segundo Supervisora do Banco de Leite de Marília, enfermeira Sandra Domingues, a situação, que já era preocupante, agravou-se com a chegada da pandemia à cidade. “Marília hoje conta com três UTIs Neo, sendo que a do HMI (Hospital Materno Infantil) é referência para DRS (Diretoria Regional de Ensino) para gestação de risco”.
As UTIs neonatais de Marília ficam na Santa Casa de Misericórdia, no HBU (Hospital Beneficente Unimar) e no HMI (Hospital Materno Infantil). A Maternidade Gota de Leite, embora não tenha UTI, eventualmente precisa de doação de leite humano também.
“É importante frisar que, preocupadas com a situação do bebê em UTI, as mães têm dificuldade de produzir o leite nos dez primeiros dias de vida da criança, o que é essencial à vida”, afirmou Sandra Domingues.
“Entendemos que as mães devem estar inseguras neste momento que passamos e respeitamos. Mas elas podem ficar tranquilas quanto a isso porque nós já seguíamos normas de segurança rígidas e reforçamos ainda mais os cuidados por conta da Covid-19”, informou a supervisora do BLH de Marília.
Ela destaca que as mães interessadas em doar,são orientadas que usem máscaras ao irem ao BLH e que todas são atendidas em horários agendados, para evitar a aglomeração e por funcionários usando máscaras também. A partir daí a coleta do leite é feita na residência da doadora semanalmente e, que por causa da pandemia, a equipe não entra mais nos domicílios, entregam os fracos para nova coleta, máscara e gorro. Eles também utilizam todo equipamento de proteção. “Se a doadora preferir, pode responder ao questionário de adesão por telefone”, disse Sandra Domingues.
Atualmente, das 120 mães que seria o número ideal para o atendimento dos bebês em UTIs neonatal, hoje o Banco de Leite Humano conta com apenas 50. “Precisamos aumentar este número. Por isso mantemos o horário normal de atendimento aqui no Banco de Leite Humano de Marília e nos postos de coleta da região e lembro às doadoras que não precisam encher o frasco. Qualquer quantidade de leite que elas puderem doar já ajuda nesta hora”.
Em Marília, as coletas de leite materno nas casas das doadoras são divididas por região, atingindo a zona norte na segunda-feira, a zona sul na terça, a zona oeste na quarta, a zona leste na quinta e os distritos na sexta-feira.
O BLH fica localizado na rua 15 de Novembro, 50. O telefone é 3413-8696 e o horário de funcionamento é das 7h30 às 13h30.

Fotos: Divulgação


Compartilhe

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*