Em sua coluna de domingo, deputado Camarinha diz que prefeitura de Marília teve a maior arrecadação de sua história

DEPUTADO ABELARDO CAMARIHA

A Semana

material noticioso encaminhado pelo deputado Abelardo Camarinha, por meio de sua assessora de imprensa, jornalista Ana Cláudia Caetano Gimenez.

Prefeitura de Marília tem arrecadação histórica nos três primeiros meses de 2018: R$ 175.447.453,00

Cofre cheio: a Prefeitura Municipal de Marília, sob a administração de Daniel Alonso, nos três primeiros meses de 2018 (janeiro, fevereiro e março) teve a maior arrecadação da história da emancipação do município.

Foram arrecadados

Por mês:

R$ 58.484.000,00

Por dia:

R$ 1.949.416,00

Isso ocorreu porque o prefeito fez um brutal aumento de impostos municipais da família mariliense, como: IPTU, taxas, ISS, alvarás, multas, cobrança de puxadinhos, cobrança de aposentados e deficientes, o que resultou numa super arrecadação. O caixa da Prefeitura ainda foi beneficiado com a receita do IPVA e das transações de cartão de crédito e débito que agora ficam no município.

Corte ao funcionalismo

Além do brutal aumento dos tributos municipais, o prefeito promoveu também uma jamais pensada retirada de benefícios, conquistas e direitos dos funcionários públicos da Prefeitura Municipal, como hora extra, sexta parte, horário noturno, férias remuneradas, o tão esperado Plano de Carreira, cesta básica, convênio com a Unimed, etc…

Tem dinheiro demais nos cofres da Prefeitura e pouco serviço nas ruas da cidade

Com esse montante astronômico, de quase R$ 60 milhões ao mês, tirando a folha de pagamento que mais onera o orçamento municipal, a PMM tem uma sobra mensal de quase R$ 40 milhões nesses últimos 90 dias. Cofre cheio em meio à uma cidade que sofre com a constante falta de água, buracos, inexistente ou deficitária capinação, merenda sem qualidade, falta de kit de material escolar, falta de uniforme, o não pagamento de horas extras aos funcionários, a falta de caminhões para a coleta de lixo e ainda o investimento zero na construção de poços artesianos.

 

Ainda falta o dinheiro do Daem, Codemar e Emdurb

Além desses mais de R$ 175 milhões, ainda existe o caixa positivo e de alto montante no Daem, que aplicou vários aumentos na conta de água e milhares de cortes de quem estava com a tarifa atrasada. A Emdurb criou uma fábrica de multas e subiu astronomicamente as taxas da rodovia, cemitério e complexo de trânsito (Centro de Formação de Condutores).

No caixa, sobram recursos para o aumento do funcionalismo

Com esse volume enorme de recursos no caixa da Prefeitura, é totalmente possível atender as reivindicações dos funcionários públicos. Categoria que elegeu o atual prefeito na promessa de aumento salarial e valorização, porém nada disso ocorreu. “Para a empresa Monte Azul (coleta de lixo), só um exemplo, teve um gordo aumento de 8%, o IPTU teve reajustes que atingiram de 200% a 500%. ISS e outros tributos também foram muito majorados e agora o prefeito fala em 3% dentro de um aumento de energia, combustíveis, botijão de gás e alimentação?”, questionou o deputado estadual Abelardo Camarinha (PSB), que encerrou dizendo que sobra dinheiro e falta competência e transparência. Que esses números sempre foram acompanhados pela Matra e agora estão sendo omitidos por aquele grupo político partidário que não defende o povo, os funcionários e a transparência do poder público.

Atenção

Na próxima edição, o deputado Camarinha vai trazer todos os detalhes do andamento da investigação da CPI da Carne, um dos maiores escândalos do governo Daniel.

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*