Fenaj: Bolsonaro é responsável por mais da metade dos ataques a jornalistas em 2019

Presidente responde por 121 das 208 ocorrências registradas pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), o equivalente a 58% do total
Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro foi responsável por 121 das 208 ocorrências de ataques a jornalistas registrados pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) em 2019. Os dados são do relatório “ Violência contra Jornalistas e Liberdade de Imprensa no Brasil”, divulgado nesta quinta-feira (16).

De acordo com o monitoramento da entidade, a ascensão de  Bolsonaro à presidência da República afetou a liberdade de imprensa no Brasil, já que, em 2019, o número de casos de ataques a veículos de comunicação e a jornalistas aumentou 54,07% em relação a 2018, quando foram anotadas 135 ocorrências.

“A maioria dos ataques de Bolsonaro foi feita em divulgações oficiais da Presidência da República (discursos e entrevistas do presidente, transcritos no site do Palácio do Planalto) ou no Twitter oficial de Bolsonaro. Foram 116 casos, já denunciados pela Fenaj em divulgação específica. A esses, somaram-se outros cinco casos de agressões feitas em entrevistas/conversas com jornalistas que não foram reproduzidas no site do Palácio do Planalto”, diz a presidenta da Fenaj Maria José Braga no relatório.

Para a dirigente, a postura do presidente mostra que a liberdade de imprensa está ameaçada no Brasil. “O chefe de governo promove, por meio de suas declarações, sistemática descredibilização da imprensa e dos jornalistas. Com isso, institucionaliza a violência contra a imprensa e seus profissionais como prática de governo”, aponta.

Não foram registrados pelo monitoramento ataques feitos em coletivas como as concedidas usualmente por Bolsonaro em frente ao Palácio da Alvorada. Hoje, o presidente atacou verbalmente uma repórter do jornal  Folha de S. Paulo ao perguntar se ela não tinha “vergonha na cara” por conta de uma reportagem que denuncia o titular da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Fabio Wajngarten . Ele recebeu dinheiro, por meio de uma empresa da qual é sócio, de emissoras de TV e de agências de publicidade contratadas pela secretaria.

“Eu sei que você não é dona da Folha, desculpa, você, como pessoa, não tenho nada contra você, mas você está cumprindo aqui o seu papel para tentar infernizar o governo. Qual pauta positiva a Folha teve no governo até hoje? Nada, zero. Zero”, disse Bolsonaro.

Por Rede Brasil Atual

Compartilhe
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter
Instagram

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*