“Fertilizantes: salvando vidas”, por Valter Casarin*

Valter Casarin*

O título deste artigo pode ser surpresa para muitos, ao mesmo tempo que pode ser contestado por outros. Os fertilizantes, que para muitos pode significar um produto tóxico, algo nocivo para a saúde, mas que na realidade é o alimento das plantas e, indiretamente, o alimento de homens e animais.

Em recente pesquisa realizada pela universidade americana YALE, situada em New Haven (Connecticut), mostrou que os fertilizantes foram a inovação que mais salvou vidas na história da humanidade, com um total de 2,7 bilhões de pessoas. A segunda inovação que mais salvou vidas foi o grupo sanguíneo, com 1,09 bilhão de pessoas, seguido pela vacina contra varíola (530 milhões), revolução verde do trigo (259 milhões), entre outras.

Vale ressaltar que os fertilizantes não são produtos tóxicos, mas fonte nutricional para as plantas. Os nutrientes que os fertilizantes têm em sua composição são aqueles essenciais para que os vegetais completem seu ciclo de vida, ou seja, produzam grãos, frutos e outros produtos usados como alimento animal e humano. São esses nutrientes que irão nutrir os animais e o ser humano, permitindo que estes possam ter energia para suas inúmeras atividades.

Os fertilizantes minerais são produzidos a partir de depósitos de minerais que ocorrem na natureza ou extraídos do ar que respiramos. Essas matérias primas são processadas na indústria para tornar os nutrientes apropriados para sua utilização pelas plantas e reduzir o custo de transporte a aplicação no campo. Mas, suas composições continuam sendo de moléculas naturais, e não artificiais.

Assim, não é nenhuma surpresa o fertilizante ser a inovação que mais salvou vida na história da humanidade, pois é através deste produto que se produz plantas com adequado e balanceado teor nutricional. Os animais e seres humanos que se alimentam destas plantas ricas em nutrientes tendem a ter a saúde mais estável, com menores riscos de doenças.

O resultado acima reforça o estudo publicado pelo Agronomy Journal, em 2005, onde se afirma que os fertilizantes são responsáveis por, em média, 50% da produção global de alimentos, permitindo concluir que os fertilizantes são uma enorme contribuição para a sociedade.

Segurança alimentar é o direito de todos ao acesso a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente e de modo permanente, com práticas alimentares saudáveis e sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais nem o sistema alimentar futuro, devendo se realizar em bases sustentáveis. Através desta definição podemos entender a importância que os fertilizantes assumem na obtenção da segurança alimentar mundial.

As plantas têm a necessidade de nutrientes em quantidades determinadas e de forma balanceada, o que é possível de alcançar com a aplicação de fertilizantes. Essa aplicação deve seguir o manejo adequado, aplicando criteriosamente a fonte certa, a dose certa, no lugar certo e na época certa. É desta forma que o uso dos fertilizantes contribui positivamente para a sociedade e para o ambiente.

A iniciativa Nutrientes Para Vida (NPV) tem como missão destacar e informar a população a respeito da relevância de fertilizantes para o aumento da qualidade e segurança da produção alimentar, colaborando com melhores quantidades de nutrientes nos alimentos e consequentemente, com uma melhor nutrição e saúde humana.

Valter Casarin, engenheiro agrônomo da iniciativa Nutrientes para a Vida

Compartilhe
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter
Instagram

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*