Fim do Mais Médicos é desumano, critica senador Rogério Carvalho

Criado pela ex-presidenta Dilma Rousseff, em 2013, o programa Mais Médicos atendia direta ou indiretamente cerca de 28 milhões de pessoas
Alessandro Dantas

Senador Rogério Carvalho

O senador Rogério Carvalho (PT-SE), um dos relatores da proposta de criação do Mais Médicosna Câmara, afirmou que as ações promovidas pelo atual governo na área da saúde e desmontaram o programa são desumanas.

O programa Mais Médicos, criado pela ex-presidenta Dilma Rousseff, em 2013, atendia direta ou indiretamente cerca de 28 milhões de pessoas, sendo a maioria de cidades do interior, do sertão, e comunidades carentes.

“Quando fui relator do Mais Médicos, o objetivo era atender aos que mais precisam de assistência à saúde: os mais pobres. Agora, um gesto desumano de Jair Bolsonaro deixará milhões de brasileiros sem atendimento médico. Inacreditável”, criticou o parlamentar.

Jair Bolsonaro tomou uma desastrosa decisão após protagonizar campanha difamatória contra os médicos cubanos e uma tentativa frustrada de recontratá-los. Assim, o governo decidiu encerrar o programa Mais Médicos e anunciou a substituição por um projeto ainda sem planejamento ou data de lançamento.

Com isso, cerca de 4 mil municípios perderão profissionais que fazem o atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Após a expulsão dos médicos cubanos do Mais Médicos, cerca de 8,5 mil profissionais deixaram os postos de trabalho o que, segundo especialistas, levou 24 milhões de brasileiros a ficarem sem médico. O governo abriu novos editais para suprir as ausências, mas até a última quarta-feira (6) 1.462 vagas ainda permaneciam sem profissionais. Com o fim do programa, o número de brasileiros sem atendimento aumentará ainda mais.

Por PT no Senado

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*