INADIMPLÊNCIA► Inclusão e exclusão ao SCPC com crescimento de quase 50%

 

Os comerciantes da cidade de Marília começaram o ano atentos ao banco de dados do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), atualizando a relação de consumidores com passam a ter restrição ao crédito e aqueles que foram excluídos da listagem de devedores. “Esse é um comportamento que vem crescendo a cada mês, devido a conscientização do próprio lojista”, disse o presidente da Associação Comercial e Industrial (ACI) de Marília, Adriano Luiz Martins, ao analisar o monitoramento mensal do órgão existente para proteger o comerciante associado da inadimplência e verificar crescimento de quase 50% em ambos os casos. “Esse tipo de informação é fundamental para combater a inadimplência”, ressaltou o dirigente ao lembrar da importância de se manter o banco de dados atualizado.

No comparativo ao mês de Janeiro do ano passado houve um crescimento de 42,12% na inclusão de CPFs ao banco de dados do SCPC da Acim, diante dos 48,73% entre as exclusões no mesmo período do ano anterior. “Esses índices devem ser sempre positivo, mostrando que a atualização acontece e que os dados são confiáveis”, disse o segundo secretário da diretoria da associação comercial mariliense, Reinaldo Miguel, que sugere aos lojistas associados que procurem registrar sempre os devedores e excluir os pagadores. “Isso tem que se tornar um habito diário entre as lojas”, falou ao orientar os comerciantes de Marília que normatizem esse tipo de comportamento como forma de proteger a gestão da empresa. “A inadimplência é combatida com informação”, repetiu o ensinamento.

No mês de Janeiro deste ano foram incluídas ao banco de dados do SCPC da Acim 1.525 CPFs, diante dos 1.073 incluídos no ano passado, gerando uma elevação de 42,12%. “Isso quer dizer que mais pessoas deixaram de ter crédito em qualquer loja do Brasil, já que o sistema de proteção é nacionalizado”, lembrou Reinaldo Miguel o fato de que, uma vez no sistema do SCPC, o devedor deixar de ter crédito em qualquer loja do território nacional. “Passou a dever em Marília, fica com restrição em qualquer outra loja”, reforçou. “E vice-versa”, acrescentou o dirigente da associação comercial ao sugerir que o lojista crie hábitos administrativos no sentido de fazer com que diariamente o banco de dados do SCPC da Acim seja alimentado com informações atuais sobre os clientes.

Por outro lado o número de pessoas que foram excluídas da lista do SCPC da Acim cresceu 48,73% no comparativo ao mês de Janeiro do ano passado, o que representa mais pessoas em condições de comprar, do que o contrário. Foram excluídas este ano 1.230 pessoas, diante das 827 do ano passado. “Mais pessoas passaram a ter crédito restabelecido do que o contrário”, festejou o dirigente da associação comercial que deseja verificar mais pessoas sendo excluídas do que incluída no banco de dados do SCPC da Acim. “No ano passado, fechamos 2018 com 19.083 pessoas sendo incluídas na listagem diante das 11.786 pessoas que foram excluídas”, lamentou ao verificar o aumento da inadimplência que se deve ao fato dos juros elevados, do poder de compra familiar diminuído e principalmente ao exagero da carga tributária. “Foi um ano complicado por causa da Copa do Mundo e Eleições, além dos escândalos políticos”, apontou Reinaldo Miguel.

LEGENDA – Reinaldo Miguel, da diretoria da associação comercial, avalia a performance do SCPC da Acim

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*