LUA, por Nikita Kirah

LUA


Sentiria vergonha a lua
De mostrar-se nua
Num pedaço de céu?

Observando-a por uma fresta de janela,
Vi quão mágica aquarela
A pratear minhas retinas.
E com pureza de menina,
Desnudei-me diante dela
Só pela emoção que me causou
A olha-la assim…

Oh! Grandiosa lua,
Confio-te um segredo:
Até mesmo as estrelas
Sentem inveja de ti
Ao ver-te inteira,
Majestosa e apaixonante,
A encher de poesia
O coração dos amantes…

Lua,
Bem sei que guardas em tuas entranhas,
Mistérios jamais revelados…
Partilhas comigo os teus segredos
E teremos somente nossas,
As noites enluaradas e apaixonadas,
Encantadas e sem medos…

Quebra os grilhões
Que minha janela esconde,
Liberta-me dos muros e das prisões,
Envolva-me com teus braços mansos,
Meu agasalho,
Inundas minh’alma de esplendor,
E assim prometo-te:
Serei teu eterno poeta trovador!!

Nikita Kirah
Escrita em março/1990

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*