Mendes critica “lavajatismo da mídia” e diz que Lula merece julgamento justo

Segundo o ministro do Supremo Tribunal Federal, revelações do The Intercept “deixam suspeitas sobre esse caso” e mostram que “há muitos vícios nesse processo do Lula”
Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF)Gilmar Mendes disse que Lula merece um julgamento justo, na noite desta segunda-feira (14). Durante participação no programa Conversa com Bial, o magistrado apontou que há vícios nos processos contra o ex-presidente e que, por isso, precisam ter novos julgamentos com um juiz imparcial.

“A minha percepção é que nos círculos acadêmicos no mundo há a impressão de que há muitos vícios nesse processo do Lula, e eu tenho dito então que o Lula merece um julgamento justo”, explicou Mendes. Questionado pelo apresentador do programa se os processos deveriam retornar à fase inicial, o ministro reforçou a necessidade de que a questão seja julgada por um juiz imparcial. “Não sei. Mas merece um julgamento justo. Tudo isso que vem se revelando de fato deixa a suspeita sobre esse caso”, respondeu.

No início do mês, durante votação de recurso do ex-gerente da Petrobras Marcio de Almeida Ferreira no Supremo, Mendes destacou a flagrante parcialidade de Moro em julgamentos no âmbito da Operação Lava Jato. “Não parece haver dúvidas que o juiz Moro era o verdadeiro chefe da força-tarefa de Curitiba, indicando testemunhas e sugerindo provas documentais. Quem acha que isso é normal certamente não está lendo a Constituição”, disse o ministro na ocasião.

Na noite desta segunda (14), Mendes ironizou a omissão do ministro da Justiça diante dos casos de corrupçãoque envolvem Jair Bolsonaro (PSL) e disse que Moro “virou um personagem que Bolsonaro leva para jogo do Flamengo”.  O ministro do Supremo ainda completou: “Ele está precisando do Bolsonaro. Antes o Bolsonaro precisava dele, depois ele passa a precisar do Bolsonaro”.

‘Lavajatismo militante da mídia’

 

Ainda no programa de Pedro Bial, Mendes fez duras críticas ao comportamento da grande imprensa em relação a Lava Jato. De forma indireta, o ministro responsabilizou a mídia pelos ataques que a Suprema Corte recebe via propagação de fake news e criticou a abordagem dos veículos às ações do STF.

“Quero dividir a minha responsabilidade com vocês. Vocês têm uma grande parcela de responsabilidade. Quando vocês dizem ‘Gilmar solta’, e estou falando porque já reclamei para a Rede Globo, a decisão foi da turma, mas vocês dizem ‘Gilmar solta’, mas não explicam do que se trata. Houve um lavajatismo militante da mídia, a mídia aderiu a isso. Nós ficamos como os bandidos da história, aqueles que erraram ao soltar”, explicou.

Por fim, Mendes também criticou os procuradores da Lava Jato: “a Lava Jato é case de sucesso de mídia, são melhores publicitários que juristas. Houve essa coalizão, essa coabitação. A responsabilidade é muito maior da mídia do que minha”.

Da Redação da Agência PT de Notícias

Compartilhe
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter
Instagram

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*