“Podemos ser gestores, mas o dia a dia sempre é no clube”, enfatiza Marcos Antônio Carchedi, governador do Rotary

ROTARY INTERNATIONAL

Clubes com prazo para apresentarem resolução distrital

Os 67 clubes localizados no Distrito 4510 do Rotary International estão com prazo até o dia 23 de Fevereiro para apresentarem “Proposta de Resoluções”, que serão estudadas e avaliadas pela Comissão Distrital de Resolução, que apresentará aos clubes uma análise sobre as sugestões indicadas por eles. O modelo a ser preenchida pelos clubes já foi encaminhada pela secretaria distrital, que deve ser devolvida dentro do prazo estipulado. “Desta forma os clubes podem sugerir melhorias na gestão do distrito, dentro das normas do Rotary International”, disse o policial militar, Marcos Antônio Carchedi, atual governador rotário da Gestão 2019-20, associado ao Rotary Club de Marília-Tradição.

Este é o segundo ano que esta prática acontece. Na gestão passada funcionou de acordo com o estabelecido e algumas propostas foram apresentadas, sendo colocadas em práticas umas e outras, e justificada a ineficácia de outras. “A função desta comissão é exatamente avaliar se a proposta apresentada pelo clube está dentro das normas rotárias e se fere algo normativo”, disse o dirigente rotário distrital que enxerga como participativo este tipo de trabalho. “Na conferência distrital, dia 23 de Maio, acontece a assembleia com os clubes, em que as propostas e os pareceres são apresentados e os representantes dos clubes votam cada uma delas”, explicou o governador rotário ao fazer o alerta aos clubes. “O momento de sugerir algo é agora, e não durante o ano”, falou Marcos Antônio Carchedi.

As resoluções distritais são as normas administrativas utilizadas na gestão de cada distrito rotário, que se baseia nos Códigos Normativos do Rotary International e nos Estatutos e Regimento Interno da organização mundial. Cada Distrito do Rotary tem as próprias resoluções distritais, em virtude de que a realidade de cada distrito se diferencia um do outro. “O Rotary tem uma norma básica”, pontuou Marcos Antônio Carchedi. “Como vamos cumprir esta norma, cada distrito tem a sua liberdade de agir dentro da realidade, da capacidade e do potencial, com base na cultura, nos hábitos, nas tradições e na melhor maneira de servir a humanidade”, explicou o dirigente que considera a participação dos clubes como importante, em virtude de que o Rotary acontece nos clubes. “Podemos ser gestores, mas o dia a dia sempre é no clube”, defende o dirigente rotário do centro-oeste paulista, ao lembrar que: governador distrital e presidente de clube são cumpridores de regras e normas.

O FORMULÁRIO – No formulário a ser preenchido pelo clube é preciso, além da identificação dele junto ao Rotary International, é necessário promover uma assembleia para a discussão da proposta e aprovação. Existe espaço resumido para justificar a proposta com as devidas considerações, além de outro local para relatar detalhes sobre a ideia apresentada. Este formulário deve ser assinado pelo presidente do clube, bem como o secretário da gestão. “E encaminhar para cada um dos quatro integrantes da comissão”, pontuou Marcos Antônio Carchedi, ao lembrar que no final existem os endereços eletrônicos de cada um deles.


LEGENDA – Marcos Antônio Carchedi explica como o clube deve propor proposta de resolução para o distrito rotário

Compartilhe
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter
Instagram

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*