Polícias chamam paralisação nacional contra a reforma da Previdência

A paralisação de policiais civis está sendo convocada nacionalmente pela União dos Policiais do Brasil (UPB) como forma de preparação para um ato nacional do dia 20
12
Reprodução

Entidades representativas da Polícia Civil estão convocando para a próxima segunda-feira (13), das 13h às 18h, uma paralisação nacional como parte da mobilização contra a reforma da Previdência. No Rio Grande do Sul, a adesão à paralisação foi aprovada em assembleia realizada na última terça-feira (9).

Na assembleia, que também contou com a adesão de agentes da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal, lideranças sindicais apontaram que as polícias serão prejudicadas por vários aspectos da reforma, como o aumento da idade mínima e das alíquotas tributárias — o que foi chamado de confisco salarial no ato.

“Além do não reconhecimento das características próprias da atividade policial, como o risco de morte, a proposta traz a possibilidade do estabelecimento de uma alíquota extra de até 8%, que significará uma diminuição salarial para os (as) policiais de todo o país. Outro ponto que atinge os (as) policiais e, por consequência, a segurança pública, é o não estabelecimento de uma regra de transição para a implementação das novas regras de aposentadoria. Além disso, com o estabelecimento de um gatilho para o estabelecimento da idade mínima de aposentadoria, em breve, teremos uma força policial extremamente envelhecida, com sérias dificuldades de garantir a segurança da população”, diz nota da Ugeirm, sindicato de policiais civis do RS, a respeito da mobilização da próxima semana.

As polícias também cobram o que consideram ser um tratamento diferenciado dado aos militares em comparação com as demais forças de segurança. “Se a reforma não é boa para os militares, não é boa para as polícias. Nós, que arriscamos a vida todos os dias, queremos a mesma Previdência dos militares”, disse, na última segunda, Isaac Ortiz, presidente do Ugeirm, sindicato dos policiais civis do RS.

A paralisação de policiais civis está sendo convocada nacionalmente pela União dos Policiais do Brasil (UPB) como forma de preparação para um ato nacional marcado para o dia 20, em Brasília. A princípio, no próximo dia 13, as demais categorias devem apenas realizar mobilizações preparatórias para o ato nacional do dia 20.

Em Porto Alegre, haverá concentração de manifestantes no Palácio da Polícia. A orientação é que não haja circulação de viaturas, que não sejam cumpridos mandados de prisão, nem haja participação em operações policiais e outras ações. A convocação é para que as delegacias registrem apenas flagrantes de casos de maior gravidade, como homicídios, estupros, ocorrências envolvendo crianças, adolescentes e idosos e Lei Maria da Penha.

Por Sul 21

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*