Pompéia: Comércio começa a sentir o efeito da pandemia, alerta ACE

CORONAVIRUS – POMPEIA

Comércio começa a sentir o efeito da pandemia, alerta ACE

A vice-presidente da Associação Comercial e Empresarial de Pompeia, Marineves da Silva Barros Souza, considerou natural, porém, preocupante, o resultado de pesquisa realizada na última semana do comércio varejista nacional, no período de 16 a 22 de Março, que registrou uma queda de 25,2% das vendas em relação à semana anterior, no período de 9 a 15 de março. “Era de esperar diante de tudo que vem acontecendo”, disse a dirigente pompeiana ao observar os dados do levantamento com abrangência nacional feito pela Boa Vista em meio à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). “Esses números demonstram como as medidas adotadas contra o Covid-19, que restringem a circulação de consumidores em todo o país, têm afetado o varejo brasileiro”, reforçou a comerciante que faz parte da diretoria da associação comercial local. “Na comparação interanual, ou seja, com igual período do ano passado, a queda registrada foi de 9,5%”, observou.

De acordo com os números do levantamento realizado, é preciso considerar apenas o último fim de semana (20 a 22 de março), quando a queda registrada é ainda maior: 36,6% contra o final de semana anterior (13 a 15 de março), quando já havia restrições na circulação de pessoas, e 44,3% contra o fim de semana de 6 a 8 de março, quando ainda não havia restrições, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) não havia decretado pandemia. “Precisamos ficar atentos a esses números e aos próximos para acompanhar o resultado prático do fechamento do comércio em geral decidido através de decretos”, falou a vice-presidente da associação comercial pompeiana.

As medidas restritivas, como o fechamento de lojas e a drástica redução na circulação de pessoas, têm causado um impacto significativo nas vendas do comércio varejista, principalmente nas lojas físicas. As incertezas quanto à duração das restrições e o efeito causados sobre o mercado de trabalho já afetaram fortemente a confiança dos consumidores e devem continuar influenciando negativamente as decisões de consumo, mesmo com as medidas paliativas que os governos vêm anunciando. “O empresariado ainda não sabe o que vai acontecer e o que é preciso ser feito para evitar um mal maior”, disse Marineves da Silva Barros Souza que admite muito desencontro de informações de todos os lados. “É preciso tomar muito cuidado com as notícias falsas que aumentam a histeria”, alertou ao pedir serenidade e checagem de toda informação de grande impacto.

De acordo com a vice-presidente da diretoria é preciso aguardar as manifestações dos técnicos e autoridades para se tomar qualquer medida empresarial. “Na dúvida entre em contato com o pessoal da associação comercial que vai apurar a informação e passar a orientação adequada”, disse a dirigente que já esteve na presidência da entidade por uma gestão. “A associação comercial tem meios de confirmar qualquer tipo de informação neste sentido e ajudar o comerciante a tomar a decisão mais próxima do ideal, naquele momento”, tranquilizou ao lembrar que o levantamento realizado pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP) foi baseado em uma amostra das consultas realizadas no SCPC, banco de dados da Boa Vista, cuja abrangência é nacional. Foram consideradas as consultas realizadas ao longo do período de 6 a 22 de março de 2020.

LEGENDA – Marineves da Silva Barros Souza, vice-presidente da associação comercial, comenta sobre pesquisa realizada no varejo

Compartilhe
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter
Instagram

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*