Últimas

Prefeitura continua no dia 8/6 ao trabalho de nebulização na zona oeste

Compartilhe

Desta vez a nebulização atingirá partes dos bairros Teruel e Chico Mendes

A Prefeitura de Marília, por meio da Divisão de Zoonoses da Secretaria Municipal da Saúde, com o apoio da Sucen (Superintendência de Controle de Endemias do Estado de São Paulo), seguirá nesta segunda-feira, dia 8, com a segunda fase de aplicação de adulticida (nebulização) em parte dos bairros Teruel e Chico Mendes, na zona oeste da cidade. Como aconteceu esta semana, outras 85 quadras receberão a nebulização.
Cada área recebe a aplicação da nebulização por três dias seguidos. Nesta semana receberam a nebulização todo o bairro Argolo Ferrão e também parte dos bairros Chico Mendes e Teruel, que registraram maior número de casos de dengue. Na etapa foram atendidas 85 quadras dos bairros Argolo Ferrão Chico Mendes e Teruel
A supervisora da Divisão de Zoonoses, Adriana Dadalto, destacou o trabalho realizado na zona oeste. “A nebulização de cada área é feita três dias seguidos para maior eficácia do inseticida aéreo. De acordo com os levantamentos de casos que vão surgindo e nível de transmissão, a nebulização poderá acontecer em outros bairros também.”
O secretário municipal de Saúde, Cássio Luiz Pinto Júnior, explicou que antes da pulverização é feita uma visita por agentes comunitários e agentes de controle de endemias.
“Além de buscar possíveis criadouros do mosquito Aedes Aegypti, transmissor não só da dengue, mas também da Zika e Chicungunya, os agentes visitam as casas para orientar os moradores sobre os cuidados que devem ter para evitar estes criadouros e verificar se esta ação está sendo realizada pelos moradores, porque há muitos casos nestas áreas”, afirmou o secretário.
O prefeito Daniel Alonso, que acompanhou o início dos trabalhos de nebulização na zona oeste, voltou a lembrar que a população pode ser a maior aliada no combate ao aedes aegypti. “A população tem que ser nossa principal aliada neste combate ao mosquito da dengue, não deixando vasilhas ou outros materiais que possam acumular água. Uma vistoria para evitar criadouros, feita pelo menos duas vezes por semana, já ajuda no combate à proliferação do mosquito aedes aegypti. Nossos agentes estão sempre visitando as casas para ajudar o morador a descobrir focos do mosquito e orientando-o na melhor forma de evitá-los”, afirmou o chefe do Executivo.
DADOS
A enfermeira Luciana Stroppa, integrante da equipe da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Marília, informou que até esta sexta-feira, dia 5 de junho, Marília registou 3.461 casos suspeitos, sendo que destes 1.817 foram descartados, restando 369 casos aguardando resultado de exames, além de 1.275 casos confirmados e curados e um óbito.

Fotos: Mauro Abreu/Assessoria de Imprensa PMM


Compartilhe

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*