Últimas

ROTARIANOS EM AÇÃO: Clubes criam estratégia para crescimento do quadro associativo

Compartilhe

LEGENDA – Nestor Silveira do Amarilho, futuro governador do Distrito 4510 do Rotary International, prepara treinamento

Os clubes do Rotary International localizados na região centro-oeste do interior do Estado de São Paulo estão criando alternativas para reforçarem o quadro associativo com ações diferenciadas ao longo dos próximos meses. Encontro mensal, através de plataforma virtual de conversação, está acontecendo sempre na última quinta-feira de cada mês, quando o assunto é discutido em conjunto com o Governador do Distrito 4510 do Rotary International, o médico Nestor Silveira do Amarilho, associado ao Rotary Club de Assis do Vale. “A ideia é crescer numericamente de forma consciente, estruturada e constante”, apontou o dirigente rotário regional que vem conversando com os clubes neste sentido. “Vamos abrir duas frentes de ação: novos e antigos associados”, anunciou o dirigente ao conversar com os coordenadores dos clubes da comissão responsável pelo quadro associativo.

De acordo com Nestor Silveira do Amarilho 44% dos clubes tiveram um número decrescente na última gestão, enquanto 25% deles cresceram com mais de 20 associados cada. “Ainda temos 43% dos clubes com menos de 20 associados”, lamentou ao verificar os 16% dos clubes que não cresceram, mas também não diminuíram. “Precisamos reverter esses índices com ações pontuais e específicas”, disse o coordenador distrital do Desenvolvimento do Rotary, o jornalista Márcio Cavalca Medeiros, associado ao Rotary Club de Marília-Pioneiro, que propôs no último encontro mensal com os representantes dos clubes, dividir os 68 clubes em quatro grupos: Grupo 01 – Menos de 10 associados; Grupo 02 – Menos com 20 associados; Grupo 03 – Com até 30 associados; e Grupo 04 – Mais de 30 associados. “Cada grupo tem justificativas diferentes que exigem ações diferenciadas”, justifica Márcio Cavalca Medeiros que vem conversando com os clubes individualmente.

Outra proposta apresentada é quanto ao trabalho com associados que deixaram os clubes nos últimos cinco anos. De acordo com Nestor Silveira do Amarilho existem 1.084 pessoas que serão abordados pelos antigos clubes, com o propósito de saber o motivo da saída e principalmente do interesse em retornar. “Cada clube já recebeu a relação, e o pedido é para que entre em contato com cada um deles e descubra os reais motivos da saída e estudem a viabilidade do retorno deles”, propôs o dirigente rotário regional que enviou mensagem de áudio e vídeo explicando como será esta atividade em que acredita no retorno de antigos associados que fortalecerão o quadro associativo do clube e do distrito rotário. “De acordo com as justificativas da saída, o clube pode e deve criar mecanismo para evitar futuras saída de mais pessoas”, reforçou Márcio Cavalca Medeiros que considera interessante a realização de pesquisa de satisfação interna e externa, e também com antigos associados.

A partir deste mês, de acordo com o coordenador distrital do Desenvolvimento do Rotary, os clubes começarão a discutir as dificuldades e as ações a serem realizadas para um crescimento constante de forma segmentada entre os grupos com número de associados semelhantes. “Cada grupo vai fazer a análise própria, dentro da realidade de cada um, e buscar as alternativas mais próximas”, disse Márcio Cavalca Medeiros ao apontar 30 clubes com menos de 20 associados, 27 com menos de 30 e 11 acima de 30 associados, dos 68 clubes do Distrito 4510 do Rotary International, distribuídos em 38 cidades da região centro-oeste do interior do Estado de São Paulo.


Compartilhe

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*