“Sérgio Moro: Herói x Vilão”, por Doutora Vivian Coutinho Cavalcante

Compartilhe

Por Doutora Vivian Coutinho Cavalcante*

Na data de ontem vivenciamos um dia difícil em três áreas: Saúde – Economia – Política.

O que mais chocou foi a nova demonstração de despreparo em condução de crises por parte do Governo Federal, que protagonizou o que, nos bastidores políticos, foi considerado o “começo do fim”.

Às 11h, o então Ministro Sergio Moro convocou uma coletiva de imprensa para anunciar que pediria sua exoneração, e, durante o pronunciamento, acusou o Presidente Bolsonaro de duas situações graves: tentar interferir na autonomia da Polícia Federal através da troca do superintendente e do Diretor Geral, e por emitir o decreto de exoneração do ex-Diretor Geral com a assinatura do ministro sem a permissão ou conhecimento do mesmo.

Logo às 17h, o Presidente Jair Bolsonaro ataca o ex-Ministro acusando-o de ser mentiroso e de não ter desempenhado suas funções a contento, inclusive, aumentando o tom para o acusar de chantagem.

Mais à noite, o Ex Ministro divulgou print de uma conversa sua com a Deputada Carla Zambelli (PSL) em que ela oferece vantagens em troca de Sergio Moro ficar no cargo de Ministro aceitando a troca da superintendência da Polícia Federal. E ele lhe responde: “Prezada, não estou à venda”.

O que se depreende de tudo isso é que Bolsonaro, já enfraquecido politicamente, traça um enorme declínio com a saída de Sergio Moro, o segundo Ministro que deixa o cargo em menos de um mês, no momento em que enfrentamos uma crise na saúde e econômica de grandes proporções. Com dólar batendo em R$5,78 e a bolsa de valores operando em queda, demos início evidente a uma terceira crise: A POLÍTICA.

Uma crise política nesse momento desencoraja investidores, o que empurra nossa economia substancialmente para baixo.

Nesse momento precisamos de PRUDÊNCIA e MATURIDADE dos nossos governantes para se acertarem e protegerem a população brasileira. No entanto, o que transparecem é um jogo de ego extremamente visível em busca da imposição das próprias vontades e razões.

Se houve cometimento de crime? Sem dúvidas. De um lado ou de outro, algo de muito errado está acontecendo e certamente tudo será apurado.

Bolsonaro está longe de ser o melhor Presidente que já tivemos, mas uma terceira crise nesse momento em que já enfrentamos duas crises fortes, nos expõe ainda mais.

Com um discurso agressivo contra o Poder Legislativo e o Poder Judiciário, Bolsonaro caminha rumo a um impeachment, que antes era incerto, agora é uma possibilidade real.

*Doutora Vivian Coutinho Cavalcante

Pós graduanda em Processo Civil pela LFG
Secretária de Relações Institucionais da JPSDB-SP
Advogada da área de Família e Sucessões, Infância e Juventude e Criminalista


Compartilhe

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*