SINPCRESP participa de ato cobrando a valorização das carreiras policiais

 

Representantes do Sindicato dos Peritos Criminais do Estado de São Paulo (SINPCRESP) participaram, na tarde dessa segunda-feira (4/11), de um protesto que reuniu milhares de policiais técnico-científicos, civis, militares e agentes de segurança penitenciária contra o reajuste salarial de 5% anunciado pelo governador João Doria na semana passada.

Pela primeira vez na história de São Paulo, as forças de segurança do Estado se uniram em um único ato reivindicando melhores salários e condições de trabalho. Cada uma das categorias se concentrou em pontos distintos do Centro (em frente à Delegacia Geral de Polícia, da Secretaria de Administração Penitenciária e do Comando Geral da PM) e depois, juntas, saíram em passeata até a sede da Secretaria da Segurança Pública (SSP).

A manifestação, que contou com a presença de vários parlamentares que atuam em defesa da segurança pública e de entidades representativas dos policiais, cobrou medidas efetivas de valorização dos servidores do setor. “Esse ato de hoje é para cobrar investimentos em infraestrutura de prédios, armamentos, equipamentos e viatura para poder ofertar o melhor atendimento à população”, explica o presidente do SINPCRESP, Eduardo Becker.

Policiais técnico-científicos, civis, militares e agentes de segurança penitenciária se uniram na manifestação

A manifestação, que transcorreu de forma organizada e pacífica, cobrou que o governador João Doria cumpra sua promessa de campanha e valorize, de fato, a categoria. Quando concorria à vaga de chefe do Executivo paulista, Doria prometeu que os policiais paulistas teriam os melhores salários do Brasil e, após eleito, reafirmou o compromisso diversas vezes.

Após anos de sucateamento e de falta de investimentos, os policiais técnico-científicos amargam uma desvalorização salarial de mais de 50%. “Após anos sem recomposição, as perdas somam mais de 50% do poder de compra. Ano que vem esse deficit vai piorar ainda mais. O que buscamos aqui é o reconhecimento do servidor da segurança pública”, afirmou Becker.

Durante o ato, Becker ressaltou que muitos policiais estão sobrecarregados pela falta de efetivo e que, diante dos baixíssimos salários, têm que partir para uma segunda jornada para dar condições dignas à sua família. “Antes de tudo, o policial é um ser humano, é um cidadão como outro qualquer, com a diferença que ele se dedica a proteger a população”, afirmou o presidente do SINPCRESP.

O presidente do SINPCRESP, Eduardo Becker, esteve presente

(Fotos: Bruno Vinicius/AKM Comunicação)

Compartilhe
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter
Instagram

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*