SP arrecada R$ 96 milhões para dobrar produção de vacina contra o coronavírus

Compartilhe

Estado coordena campanha de arrecadação no setor privado com meta de R$ 130 milhões para custear nova fábrica do Instituto Butantan

Do Portal do Governo

  • R$ 96 milhões em doações privadas irão para fábrica que produzirá a vacina contra COVID-19
  • Meta é alcançar R$ 130 milhões para dobrar a atual capacidade do Instituto Butantan
  • Objetivo é garantir a posição do Brasil como produtor e distribuidor da vacina na América do Sul

O Governador João Doria anunciou nesta quarta-feira (29) a arrecadação de R$ 96 milhões em doações privadas para a construção de uma fábrica para produção exclusiva da vacina contra o coronavírus. A meta é alcançar R$ 130 milhões para dobrar a atual capacidade do Instituto Butantan, que é de 120 milhões de doses por ano contra o agente da COVID-19.

Veja também
Guia de prevenção sobre o novo coronavírus
Plano São Paulo: balanços e protocolos para retomada
As medidas adotadas pelo Governo de SP para o combate ao coronavírus

“O trabalho de pesquisadores brasileiros, coordenado pelo Instituto Butantan, se tornou uma esperança não apenas para São Paulo, mas também para o Brasil e, vale acrescentar, igualmente os países latino-americanos”, disse o Governador. Doria também reforçou o agradecimento aos doadores que já viabilizaram 74% da meta estimada para a nova fábrica. “Nosso muito obrigado pelo gesto e pela atitude.”

A potencial vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac está em etapa final de testes clínicos no Brasil por meio de parceria com o Governo de São Paulo. “O Butantan participa do desenvolvimento da vacina. A vacina foi desenvolvida pela Sinovac e o Butantan é o responsável por essa fase, é quem financia e controla o estudo”, disse o Diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas.

A testagem coordenada pelo Butantan envolve 9 mil profissionais de saúde que se apresentaram como voluntários a 12 centros de pesquisa médica e científica de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e Distrito Federal. A conclusão é estimada para o final de outubro ou início de novembro.

Caso a última etapa de testes comprove a eficácia da vacina, o acordo entre Sinovac e Butantan prevê a transferência de tecnologia para produção do imunizante no Brasil. Assim, o Governo de São Paulo iniciou uma campanha de doações para construir a nova fábrica do Butantan em um prazo estimado de 10 meses.

O objetivo é garantir a posição do Brasil como produtor e distribuidor da vacina na América do Sul tão logo a testagem indique o sucesso da imunização em humanos. Nesta quarta, o Comitê Empresarial Econômico coordenado pelo Governo de São Paulo confirmou três novas doações no valor total de R$ 16 milhões para erguer a nova fábrica.

A campanha vai prosseguir até o final de agosto para que os R$ 34 milhões restantes sejam arrecadados com apoio de empresas e grupos filantrópicos privados. As doações serão transferidas integralmente à Fundação Butantan e verificadas por empresas de consultoria de atuação global para reforçar a transparência da iniciativa.


Compartilhe

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*