SP lança nova fase da campanha de combate à violência contra a mulher

Objetivo do Governo do Estado é mobilizar toda a sociedade na prevenção, denúncia e punição a agressores

| Do Portal do Governo

O Governo de São Paulo lançou nesta sexta-feira (6) a segunda fase da campanha publicitária de combate à violência contra a mulher. Em mensagem direta para os agressores, o novo vídeo mostra mulheres pedindo apoio da sociedade civil para que esses crimes sejam denunciados e também elenca a ampliação de ações do Poder Público para combate ao feminicídio e à violência doméstica.

O Governador João Doria fez o lançamento da nova etapa durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes. “O filme alerta, previne e sensibiliza a sociedade. A mulher não deve se deixar ameaçar ou ser agredida, sobretudo dentro de casa”, afirmou. “O filme foi criado para mostrar quer a mulher não deve se submeter a ameaças e que ela deve denunciar”, acrescentou Doria.

A personagem do vídeo diz: “Você se acha muito macho, né? Por ameaçar, humilhar, por bater em mulher”. E responde: “Mas é covarde. Nós estamos de olho. Nós vamos te denunciar e você vai ser preso”. O objetivo é mobilizar toda a sociedade na prevenção e punição desses crimes, inclusive com denúncias de agressores à polícia e à Justiça.

O vídeo de 30 segundos será veiculado durante 15 dias em TVs e portais. Haverá versões para rádios, revistas e o Metrô paulista. A campanha publicitária foi desenvolvida pela agência TBWA\Lew Lara, com coordenação da Secretaria de Comunicação do Estado de São Paulo.

O site da campanha também traz mais informações sobre iniciativa e os endereços das Delegacias de Defesa da Mulher 24 horas no Estado: saopaulo.sp.gov.br/feminicidionao. A primeira fase da campanha foi lançada em junho, acompanhada também com um vídeo sobre feminicídio.

“A [nova] campanha vem para mostrar para vítima: ‘vá e faça a denúncia’ porque com certeza o feminicídio é uma morte evitável. A partir do momento que há um boletim de ocorrência, que a polícia está de olho, está investigando, com certeza essa mulher não será morta”, afirmou a delegada Jamila Jorge Ferrari.

Mais delegacias e aplicativo

Desde janeiro, a Secretaria da Segurança Pública ampliou de uma para 10 as delegacias de Defesa da Mulher 24 horas em todo o Estado. Outras 30 unidades também terão atendimento ininterrupto até 2022. Das 133 DDMs de todo o Estado, 16 ficam na Grande São Paulo e 108 estão no interior e litoral. Todas seguem o Protocolo Único de Atendimento, de forma a padronizar e humanizar o tratamento a mulheres vítimas de violência.

Além disso, o Governo de São Paulo implementou o SOS Mulher, aplicativo que prioriza o atendimento às mulheres com medidas protetivas, deslocando as equipes policiais mais próximas do local da ocorrência. “Já temos 11,4 mil downloads e 321 mulheres em São Paulo já estão sob o sistema protetivo. Em 15 minutos, no limite, uma autoridade policial estará ao lado dessa mulher que estiver sendo ameaçada”, declarou o Governador.

Fundo Social

No mês passado, o Fundo Social de São Paulo (FUSSP) lançou o site com informações sobre saúde e independência financeira para mulheres em situação de vulnerabilidade social. Ele traz orientações para que as mulheres saibam reconhecer, evitar e combater as principais formas de violência listadas na Lei Maria da Penha: física, psicológica, sexual, moral e patrimonial. A plataforma apresenta também todos serviços gratuitos para as mulheres disponíveis pelo Governo do Estado.

Compartilhe
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter
Instagram

Comente

Seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*